99 projeta crescer mais 50% neste semestre

99 projeta crescer mais 50% neste semestre

Valendo mais de R$ 1 bi, empresa adquirida por grupo chinês atua também na Austrália, no Japão e no México

No Correio Braziliense:

Adquirida em janeiro deste ano pela chinesa Didi Chuxing — maior companhia de mobilidade do mundo —, a empresa de aplicativo de transporte individual 99 foi a primeira nascida no país como startup a ser avaliada em mais de US$ 1 bilhão. Em entrevista ao Correio, o presidente da plataforma, Matheus Morais, afirmou que a ferramenta digital cresceu mais de 50% em Brasília no primeiro semestre deste ano e que a intenção é expandir para a América Latina em 2019. O executivo disse que o aplicativo aposta num serviço barato e rápido, mas sem se esquecer da segurança dos motoristas.

O 99 foi criado em São Paulo, em 2012. A empresa ganhou o mercado de forma rápida, segundo Morais. Com pouco mais de três anos, tinha 140 funcionários e, hoje, elevou o quadro para cerca de mil trabalhadores. A companhia tem representações administrativas em 10 cidades, mas, só no Brasil, atua em 500 localidades, no caso do táxi, e em 40, no Pop, que é um serviço de motorista particular. Com a entrada da Didi Chuxing, além do Brasil e da China, a solução passou também a estar disponível na Austrália, no Japão e no México.

De acordo com o presidente da 99, um dos objetivos da empresa é acabar com a sensação de monopólio. “A ideia é levar transporte rápido e barato às pessoas e democratizar o uso desse tipo de serviço. Temos feito uma bela guerra de preços Brasil a fora. Aqui, em Brasília, somos, em média, 15% mais baratos do que o concorrente”, disse. “Recentemente, lançamos uma promoção: R$ 8,99 de preço fixo no Plano Piloto nos horários de pico. Vale até 5 de agosto nas corridas de até R$ 20. No fim do dia, o motorista acaba fazendo mais dinheiro mesmo que o passageiro pague menos. Reduzimos a margem para ganhar escala”, afirmou Moraes.

Leia mais